Programa Mais Educação é mantido com recursos próprios em Pedra Dourada

Repasses do governo Federal não acontecem desde o ano passado

Dentre as atividades do Programa está a prática e aprendizado da Capoeira.
A lentidão na transferência de recursos federais já atinge a rede básica de educação. Os repasses do Programa Mais Educação estão atrasados em todo o Brasil, e em Pedra Dourada, a situação não é diferente. Na cidade o projeto ainda não parou porque, desde abril deste ano, a prefeitura municipal assumiu os repasses, utilizado recursos próprios para manter os mais de 100 alunos matriculados no sistema de educação em tempo integral, sem contar os monitores que utilizam a ajuda de custo, no valor de R$ 400, para complementar a renda e custear os cursos de graduação. Atualmente, Pedra Dourada é a única cidade da região que ainda mantém o Programa, que está garantido pelo menos até o mês de julho deste ano. Parte do orçamento municipal está sendo direcionado para manter as aulas, o que pode deixar de acontecer se o repasse não for feito nos próximos meses.
Durante as aulas os alunos desenvolvem atividades para reforçar o aprendizado adiquirido durante as aulas.
De acordo com a secretária de educação e delegada regional da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Maria Cristina Rocha, o programa tem capacidade para atender até 300 crianças no sistema de educação em tempo integral com aulas da grade curricular normal, reforço escolar, informática, capoeira, artes e outras disciplinas que ajudam no desenvolvimento da criança e adolescente.
"Quando apresentei o problema, disse à prefeita Eunice que são muitas famílias abrangidas, e ela disse que faria de tudo para ajudar. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) é baixo, então eu sei que a prefeitura não tem condições, e infelizmente não tem dinheiro, cofres estão enxugados. Mesmo se o município quiser não tem de onde tirar esse dinheiro. E só temos a agradecer ao trabalho e a seriedade, e ver que ela se preocupa de verdade com as famílias de Pedra Dourada. Será triste se o Mais Educação acabar, e veremos que as coisas ficarão difíceis ". Explica Maria Cristina.
Os repasses não acontecem desde o ano passado, mas o financiamento com o dinheiro vindo do governo Federal durou até o mês de abril deste ano, isso porque havia um restante que sobrou de repasses anteriores para o Mais Educação. Desde então, todo o dinheiro para a manutenção das aulas tem saído de recursos próprios da prefeitura.
Para Eunice Araújo Moreira Soares, prefeita de Pedra Dourada, o programa é valiosos para o município e já ajudou várias crianças e jovens da cidade a melhorarem as notas de rendimento durante o ano, mas, é triste saber que pode acabar devido à falta de repasses por parte do governo federal. E ainda ressaltou que com a dificuldade financeira que todos os municípios enfrentam, driblar a falta de recursos têm ficado cada vez mais difícil.
"Eu agradeço o apoio da Câmara em autorizar a utilização do dinheiro para manter as aulas. Esses jovens que são beneficiados com o Programa precisam deste benefício, e não queremos que acabe, mas se o governo não repassar o dinheiro teremos dificuldade em manter os monitores e os materiais didáticos que beneficiam dezenas de jovens da cidade." Afirmou a prefeita.
Os recursos repassados pelo Mais Educação fazem muita falta a todos os estados e municípios envolvidos. Mas, para os menores, cujos orçamentos são mais escassos, este atraso é comprometedor. A verba federal é usada para custear a permanência do aluno na escola durante o contraturno, incluindo os gastos com alimentação, monitores e materiais. E na região, apenas Pedra Durada ainda tem conseguido manter o Programa, ao menos até o próximo mês.

Recentemente os alunos do Programa Mais Educação participaram de um Torneio de Xadrez.
Os trabalhos desenvolvidos vão desde a matemática até a análise de publicidades de modalidades textuais utilizadas
no dia a dia.

Assessoria de Comunicação  - Prefeitura de Pedra Dourada

Nenhum comentário:

Postar um comentário