Aula 04: o ENEM e a “força” dos Ácidos e das Bases

Aula 04: o ENEM e a “força” dos Ácidos e das Bases.


Dando continuidade à aula anterior, sugiro especialmente uma releitura das aulas 01 e 03. Vamos nos reportar aos Ácidos e às Bases. Aqui estaremos lidando com o conceito de Arrhenius, pesquisador nascido em meados do século XIX na Noruega, ganhador do Prêmio Nobel de Química. Numa linguagem bem simples podemos dizer que partiu dele a idéia de afirmar que Ácidos são todas as substâncias que quando colocadas em contato com a água, se quebram em duas partes, uma positiva e outra negativa, sendo que a parte positiva é sempre o H.


Situação parecida ocorre com o conceito de Arrhenius para as Bases. Bases são todas as substâncias que quando colocadas em contato com água, quebram-se em uma parte positiva e outra negativa, sendo que a parte negativa é sempre o OH.


É óbvio que existem outros conceitos para Ácido e Base. Um dos motivos é o fato de que substâncias insolúveis em água ficaram impedidas de serem consideradas como Ácido ou Base. Ainda não é o momento desse tipo de discussão, pois o conceito de Arrhenius nos basta por enquanto.
Agora que temos noção do que são Ácidos e Bases segundo os conceitos de Arrhenius, vamos ao que sejam Ácidos fortes e fracos.
Ácido forte é todo aquele que quando em contato com a água se quebra com facilidade, transformando-se em íon cátion H+ e íon ânion qualquer.  Lembrando, íon é todo átomo que perdeu ou ganhou elétron. Quando perde usamos o termo Cátion (íon positivo). Quando ganha transforma-se em ânion (íon negativo). Se o Ácido tem dificuldade de quebrar-se, dizemos que é fraco.
Para o ENEM necessário se faz guardar que Ácidos fortes são:
1)    Dentre os Ácidos sem Oxigênio:  HCl, HBr e HI.
2)    Dentre os Ácidos com Oxigênio: quanto maior o número de Oxigênios em relação ao de Hidrogênios, mais forte é o Ácido. Será forte quando o resultado da subtração for igual ou superior a 2.



Quanto à força das Bases, são fortes todas as Bases formadas por metais das colunas 1A e 2A, exceto o Mg(OH)2, sendo que o Mg pertence à coluna 2A. Assim, são fortes, por exemplo, as Bases LiOH, NaOH, KOH, Be(OH)2 , Ca(OH)2. Já o Mg(OH)2 é Base moderada.
Aplicação cotidiana da “Força Ácida e Básica”:


O refluxo de conteúdo do estômago vem da abertura indevida da válvula cárdia (que não tem nada a ver com coração, apenas nome dado por sua posição anatômica), o que permite ida do Suco Gástrico do estômago para o esôfago, provocando azia. Contra azia com freqüência ingerimos solução de água com Bicarbonato de Sódio (um tipo de Sal). O que provoca a azia é o H+ originado no HCl (do suco gástrico).
Já sabemos que Ácido + Base → Sal + Óxido.
Assim, o inverso também pode ocorrer: Sal + Óxido → Ácido + Base.




Poderá, em lugar do Bicarbonato de Sódio, se usada uma Base moderada. Por exemplo, Mg(OH)2 presente no medicamento conhecido por Leite de Magnésia. Nesse caso, sem que haja necessidade de diluição em água, o Leite de Magnésia ingerido fará o contato direto do -OH com o H+, portanto, neutralizando a acidez ao formar H2O. O Bicarbonato de Sódio é muito barato se comparado ao preço do Leite de Magnésia, daí sua maior utilização.
Há muitas aplicações semelhantes, por exemplo, na atuação do Calcário no solo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário