Aula 02: o ENEM e os Óxidos

Na primeira aula falei sobre Ácidos e Bases e fiz exemplificação quanto à formação da Chuva Ácida, também sobre o encontro desses dois tipos de substâncias (Ácido e Base) no evento chamado ‘correção do solo’ (ou correção do pH do solo).
Vamos agora dar continuidade ao assunto.
Eu havia dito que alguns gases produzidos pela atividade humana, como o CO2 (gás Carbônico), reagem com vapor de água das nuvens na atmosfera, formando Ácidos. Nesse caso, Ácido Carbônico (H2CO3):

                                                  CO2  +  H2O  →  H2CO3

 Vamos nesse instante observar apenas o CO2. Trata-se de fórmula química composta por um Carbono (C) e dois Oxigênios (O). Olhando na Tabela Periódica percebemos que o “C” encontra-se na região onde estão os NÃO METAIS.




Óxidos são todas* as substâncias formadas por apenas dois tipos de elementos químicos, onde um deles é o Oxigênio. Como o Carbono é um Não Metal (também dito Ametal), podemos dizer que o CO2 pertence à família química dos Óxidos Ametálicos.
Óxidos Ametálicos quando reagem com água formam Ácidos, como o Ácido Carbônio já dito, exemplo dado na primeira aula sobre formação da Chuva Ácida.
*Há uma exceção, mas não vem ao caso para o nível em que estamos.
Mas os Óxidos também podem ser formados pelo encontro do Oxigênio com os Metais, como, por exemplo, no MgO (Óxido de Magnésio). O elemento Mg é um Metal localizado na coluna 2A da Tabela Periódica.
Assim, MgO é a fórmula química de uma substância da família dos Óxidos Metálicos.
Veja que ao contrário dos Óxidos Ametálicos, o encontro de um Óxido Metálico com Água forma uma Base (não um Ácido):

                               MgO  +   H2O  →  Mg (OH)2
                              Óxido Metálico          Base

Visualizando melhor:

O Mg(OH)2 é o princípio ativo do Leite de Magnésia, utilizado contra acidez estomacal por todos nós.
Há uma série de situações no cotidiano envolvendo compostos da família dos Óxidos (que podem ser Metálicos ou Ametálicos). Portanto, além dos Ácidos e das Bases (mencionados na primeira aula), temos também a família química dos Óxidos.
Quando colocamos a Cal Virgem (pó branco utilizado para caiação) em contato com a água, temos a formação de Cal Hidratada (uma mistura esbranquiçada com a qual fazemos efetivamente a caiação). A Cal Virgem é um Óxido Metálico, enquanto que a Cal Hidratada é uma Base, num raciocínio similar ao que ocorreu com o MgO ao reagir com água.

                          CaO  +   H2O   →   Ca(OH)2  
                   Cal Virgem (Óxido)         Cal Hidratada (Base)

Portanto, pode-se substituir o Calcário (mostrado na primeira aula) por Cal Virgem para correção do pH do Solo. Afinal, o objetivo é obter OH para neutralizar os Hidrogênios presentes no solo, vindos da Chuva Ácida. Bases liberam OH. Obviamente a correção da acidez do solo usando Cal Virgem não é viável economicamente (pois Cal Virgem é caro se comparado ao preço do Calcário).
Outra aplicação do conhecimento dos Óxidos ocorre dentro de nós. Parte do gás Carbônico que expiramos é conduzido no plasma sanguíneo sob a forma de Ácido Carbônico. Ao nível dos pulmões o Ácido Carbônico faz o caminho inverso, decompondo-se em água e CO2 , que saem por nossas narinas. Há no nosso pescoço uma artéria que permite a ida de sangue do coração para a cabeça, chamada Artéria Carótida Comum. Na altura do queixo esse vaso se divide em dois, um levando sangue para partes internas da cabeça (Artéria Carótida Interna) e outro levando sangue irrigar nosso rosto (Artéria Carótida Externa). Nessa bifurcação (divisão) da Carótida Comum há internamente uma estrutura muito pequena, ovóide, responsável por FAZER A LEITURA da quantidade de CO2 do nosso sangue (na verdade, leitura de Ácido Carbônico, ou seja, pH do sangue), estrutura chamada “Corpo Carotídeo”. É o pH do sangue lido por essa estrutura o responsável por informar ao Sistema Nervoso Autônomo sobre com que freqüência iremos contrair e relaxar os músculos entre nossas costelas, o que fará aumentar ou diminuindo o ritmo respiratório (forma de controlar o nível de CO2 no organismo, lembrando que esse óxido tem importância em vários aspectos, por exemplo, é usado na construção do principal componente da Urina: uréia).


Nenhum comentário:

Postar um comentário